domingo, 26 de julho de 2009

Sou como o vento


Nem sempre sou a lua que sonhas tocar,Nem sempre estou onde me queres encontar,apenas sou quem não esqueceu,o mais belo o olhar, nem o amor que não me soubeste me dar.Sou como o vento que vai e volta sem razão,E tu o alento do meu coração, peço-te perdão.Não sei mais como viver sem esse teu olhar, Que deixei longe e a chorar,Não sei mais como encontrar,A forma de sentir, a vida no teu sorrir.Nem sempre consigo, ser a luz, que queres ver brilhar,Aquela amiga que te ajuda a sonhar,Eu sou assim mas entre nós não pode haver um fim,Tens um lugar bem dentro de mim.Sou como o vento que vai e volta sem razão,E tu o alento do meu coração, peço-te perdão.Não sei mais como viver sem esse teu olhar, Que deixei longe e a chorar,Não sei mais como encontrar,A forma de sentir, a vida no teu sorrir.Não sei mais como viver sem esse teu olhar, Que deixei longe e a chorar,Não sei mais como encontrar,A forma de sentir, a vida no teu sorrir.
" Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém, posso apenas dar boas razões para que gostem de mim e ter paciência, para que a vida faça o resto. Aprendi que não importa quanto certas coisas sejam importantes para mim, tem gente que não da a mínima e eu jamais vou conseguir convencê-las. Aprendi que posso passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos. Que posso usar meu charme por apenas 15 minutos, depois disso, preciso saber o que estou falando. Eu aprendi... Que posso fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida. Que por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo 2 faces, e o mesmo vale para tudo que cortamos em nosso caminho. Aprendi... Que vai demorar muito para me tranformar na pessoa que quero ser, e devo ter paciência. Mas aprendi também, que posso ir além dos limites que eu próprio coloquei. "Aprendi que preciso escolher entre controlar meus pensamentos ou ser controlado por eles." Que heróis são pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem".