segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Anjo,É tão bom saberMesmo sem te conhecerQue você está aí...Anjo,Mesmo tão distanteSentir você assimTão perto de mim...Suas palavrasSe tornam mágicasSó pra me alcançarSeus sentimentos criam asas E vêm me buscarAnjo,Poder teclar com vocêMesmo sem poder te verMe faz sorrir...Anjo,Por traz do monitorSentir o teu calorMe faz feliz...
Anjo,É tão bom saberMesmo sem te conhecerQue você está aí...Anjo,Mesmo tão distanteSentir você assimTão perto de mim...Suas palavrasSe tornam mágicasSó pra me alcançarSeus sentimentos criam asas E vêm me buscarAnjo,Poder teclar com vocêMesmo sem poder te verMe faz sorrir...Anjo,Por traz do monitorSentir o teu calorMe faz feliz...
Duas amigas casadas, totalmente bêbadas, sentiram uma vontadeirresistível de fazer xixi. Apavoradas e bêbadas, sem outra alternativa,pararam ocarro e decidiram ir assim mesmo dar uma mijada no cemitério.A primeira foi, se aliviou, e então se lembrou de que não tinha nadapara se secar. Pegou a calcinha, secou-se e jogou-a fora.A segunda, que também não tinha nada para se secar, pensou: “Eu nãovou jogar fora esta calcinha caríssima e linda.” Então pegou a fita de uma coroa de flores, que estava em cima de um túmulo, e colocou para não molhar a calcinha.No dia seguinte um dos maridos ligou pro outro e disse:“- A minha mulher chegou ontem em casa bêbada e sem calcinha…terminei o casamento”.O outro: “- Você tem sorte, a minha chegou em casa com uma faixa presana bunda com inscrição: ‘Jamais te esqueceremos – Vagner, Moisés, Renato e toda turma da faculdade – “Enchi ela de porrada”.

Ah Esse amor

Ah! Esse amor que teima em arder nesse meu peito,Faz-me tão bem e tão mal, parece tão inefável,Sequer tenho chance de poder compreendê-lo,Inócuo na sua essência, porém, inelutável.
Sou tão insignificante perante sua plenitude,Pareço um menino, submisso e temeroso,Subjugado, não tenho forças nem atitude,Só quero amar, ser amado, sentir gozo.
Ah! Mas como é bom viver esse amor,Não tenho ilusão, sou cúmplice, sou fiel.Só quero amar, viver a paixão, sentir o calor,Não quero lutar, nem anestesiar essa dor,Pois estou vivo, ávido por chegar ao céu.
Deixo-me levar, no verbo sonhar,Sentir o prazer de viver e amarSou louco, mas estou a me enxergar,Pois estou vivo, e esperando o amor me pegar.

Namora, quem lê nos olhos e sente no coração as vontades saborosas do outro.Namora, quem se embeleza em estado de amor. A pele melhora, o olhar fica com brilho de manhã. Namora, quem suspira, quem não sabe esperar, mas espera, quem se sacode de taquicardia e timidez diante da paixão. Namora, quem ri por bobagem, quem entra em estado de música, quem sente frios e calores nas horas menos recomendáveis. Namorados que se prezam tem a sua música e não temem se derreter quando ela toca. Ou, se o namoro acabou, nunca mais dela se esquecem. Namorados que se prezam gostam de beijo, suspiro, morderem o mesmo pastel, dividir a empada, bebem no mesmo copo. Apreciam ternurinhas que matam de vergonha fora do namoro ou lhes parecem ridículas nos outros. Por falar em beijo, só namora quem beija de mil maneiras e sabe cada pedaço e gostinho da boca amada. Beijo de roçar, beijo fundo, inteirão, os molhados, os de língua, beijo na testa, beijo livre como o pensamento, beijo na hora certa e no lugar desejado. Sem medo, nem preconceito. Beijo na face, na nuca e aquele especial atrás da orelha, no lugar que só ele ou ela conhece. Por isso, só namora quem se descobre dono de um lindo amor, tecido do melhor de si mesmo e do outro. Só namora quem não precisa explicar, quem já começa a falar pelo fim, quem consegue manifestar com clareza e facilidade tudo o que fora do namoro é complicado. Namora, quem diz: "precisamos muito conversar" e quem é capaz de perder tempo, muito tempo, com a mais útil das inutilidades e pensar no ser amado, degustar cada momento vivido e recordar palavras, fotos e carícias com uma vontade doida de estourar o tempo e embebedar-se de flores astrais. Namora quem é bom, quem gosta da vida, de nuvem, de rio gelado e de parque de diversões. Namora quem sonha, quem teima, quem vive morrendo de amor e quem morre vivendo de amar.
Sol...
Fonte de todas as energias...
Que nos fazes tão bem...
Que nos fazes tão mal...
Há paisagem mais linda que o por-do-sol...
Ele vai para outras terras...
Outros Mundos...
Mas pela aurora ele chega...
Alegre...
Disposto a abençoar...
Quem dele se puder aproveitar...
E eu neste momento de solidão...
Aproveito cada raio...
Que ele me pode dar...
É o meu companheiro...
É o meu amigo...
Abraça-me com calor...
Afaga meus ombros...
Beija meu cabelo...
Existe somente uma idade para a gente ser feliz, somente uma época na vida de cada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante para realizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com toda intensidade sem medo nem culpa de sentir prazer.Fase dourada em que a gente pode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se com todas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amores sem preconceito nem pudor.Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desafio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso.Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa

O gaúcho e a faca, num restaurante em SP

O gaúcho chega a uma churrascaria em São Paulo, senta e, indignado,chama o garçom:- Mas bah!!! Na minha terra ñ tem história de cardápio. A genteescolhe a carne cheirando a faca do assador!!!O garçom deu um sorriso irônico, mas ñ queria perder o cliente e oatendeu a caráter.O garçom dirigiu-se ao assador, pegou sua faca q tinha acabado decortar um cupim e levou-a ao gaúcho. O gaúcho pegou a faca,colocou-a em frente do nariz e exclamou:- Mas bah!!! Esse cupim tá maravilhoso, me traz um pedaço!!!O garçom, assustado, serviu o gaúcho e, logo após, buscou a facautilizada no corte da costela e entregou-a ao gaúcho e o Mesmo exclamou:- Mas bah!!! Essa costela tá no ponto pode trazer agora mesmo!!!Desta vez, pegou a faca que acabara de cortar uma coxa de galinha elevou-a ao gaúcho que cheirou e disse:- Traga-me um bom pedaço dessa galinha saborosa!!!O garçom, já puto da vida e de saco cheio com a esnobação do gaúcho,buscou uma faca e disse para o cozinheiro:- Valdir passa a mão no seu bilau e depois a esfregue com vontadenesta faca!!!Ordem cumprida, o Valdir devolve a faca ao garçom que a entregapara o gaúcho. Ele, colocando-a na frente de seu nariz, cheirou-aprofundamente, deu um longo suspiro e disse:- Mas bah tchê!!! Esse mundo é pequeno mesmo!!! O Valdir trabalha aqui!?!?!?
comments: (1)

Eu te amo, com a força dos temporais,Com a fúria incontrolável dos vulcões.Com a energia acumulada nos trovõesDesde longos tempos imemoriais.Eu te amo, com a leveza dos cristais,Com a textura das rosas em seus botões.Com as notas delicadas das cançõesCom as cores de mil roupas nos varais.Eu te amo todas as horas do diaE este amor ora leveza, ora tormenta,Este amor que hora é prazer ora agoniaPra meu barco é a segurança de um cais.Muito embora ele saiba e se contentaQue apenas é so mais um!...e nada mais!
comments: (1)