quinta-feira, 31 de maio de 2007

Hoje eu vi você chorar... Não sabe como meu coração dilacerou-se ao contemplar as lágrimas que insistiam em rolar de tua face. Minha tristeza cresce ainda mais ao tomar conhecimento dos motivos que o levam a chorar. Não era este meu plano de vida para você. Ao imaginarmos sua criação planejamos um mundo perfeito, com todas as suas necessidades supridas, um mundo em que você pudesse crescer e se desenvolver em sabedoria e graça, em alegria, paz e tranqüilidade.
Foi assim que iniciamos nosso trabalho. Preparamos primeiramente um ambiente que pudesse lhe dar as melhores condições de desenvolvimento. Depois, começamos a pensar em você. Decidimos sobre a cor de seus olhos, o tom da sua pele, a cor de seus cabelos, o timbre de sua voz, enfim, cada mínimo detalhe foi planejado para que a nossa mais nova criação fosse também a maior delas. E assim foi. Quando terminamos, pudemos perceber que você foi criado além das expectativas. Sem dúvidas, foi a nossa maior obra prima. Estávamos felicíssimos com isso.
Porém, durante a elaboração de nossos planos, a inveja tomou conta de um de meus amigos. Um amigo com quem eu passara os melhores momentos aqui no Céu. Andávamos juntos, cantávamos e conversávamos. Nunca imaginei que este grande amigo pudesse se revoltar contra mim e contra o Pai. Mas, infelizmente, assim foi. Após uma grande briga, o Pai optou por expulsá-lo do Céu, para que não causasse maiores problemas. Por ironia ou não, foi exatamente o que ele fez. Resolveu nos causar o maior problema de todos, destruir nossa maior obra prima.
E assim fez. Foi até o mundo que havíamos criado e tomou conta de tudo. Onde havíamos colocado o amor, a paz, a alegria, a bonança, e a tranqüilidade, ele colocou o ódio, a guerra, a tristeza, a morte, o pranto, a angústia e a dor. No Céu, estávamos estupefatos com tanta audácia. Não sabíamos o que fazer para controlar esse mal. Ele era muito poderoso, somente uma força ainda maior poderia destruí-lo. Foi então que tomei a maior e mais importante decisão de minha vida. Decidi descer até o mundo para resgatar nossa obra prima: você.
Não foi nada fácil, os seres que eu mesmo havia criado com tanto amor se voltaram contra mim, chamando-me de impostor. Fui humilhado por meus próprios irmãos. Mas não desisti, pois pensei em você. Pensei em tudo o que você passaria neste mundo sem o meu sacrifício. Com este pensamento, prossegui. Os últimos dias de minha vida aqui na Terra foram os mais dolorosos. Fisicamente também, mas a dor maior foi ver o ódio crescer tanto, a ponto de me levarem à cruz. O último caminho que percorri estava lotado de pessoas ao redor. Algumas riam e cuspiam em mim. Outras choravam e se lamentavam. Por estas e por você eu continuei, até que meu corpo não suportou mais o peso da cruz e as chicotadas que os carrascos me davam sem piedade. Caí. Senti que não poderia suportar mais.
Neste momento, algumas cenas começaram a passar em minha mente. Vi um mundo sem esperanças, acorrentado nas garras de meu inimigo. Vi você chorando por problemas que não teriam mais solução. Não poderia permitir que isso acontecesse. Supliquei forças ao Pai, me levantei e prossegui rumo ao calvário. Enquanto os pregos eram cravados em minhas mãos e meus pés, eu pensava em você. Enquanto a coroa de espinhos me era colocada rasgando-me a carne, eu pensava na coroa de ouro que um dia eu poderia colocar sobre sua cabeça. Entreguei minha vida e meu espírito nas mãos do Pai, e morri.
A partir deste instante havia ocorrido a vitória contra o mal. Você fora resgatado das mãos do malfeitor, para viver uma vida de liberdade!
Mas o mal não desistiu como eu imaginava. Chegou à conclusão de que agora livre, você poderia escolher a quem seguir. E por incrível que pareça ele imaginava que teria grandes chances de que você pudesse escolhê-lo. Assim inicia a luta do ser humano, passando por tentações e provações a fim de que escolha seu senhor.
Fiquei muito feliz quando você me escolheu. Senti que valeu a pena cada lágrima que derramei, cada gota de sangue, cada segundo de humilhação. Mas, sinto que em alguns momentos de sua vida você ainda encontra-se em dúvidas quanto ao que fazer, a quem seguir. E muitas vezes segue pelo lado errado, o que faz com que você sofra as próprias conseqüências.
Meu filho, não desista. Falta pouco para o resgate final. O que estou preparando para você supera todo o mal que lhe foi causado. Seu lugar não é neste mundo de aflições, mas sim aqui, ao meu lado, sob minhas asas, onde só o amor e a paz reinarão em sua vida. Falta muito pouco...
Lute, meu filho! VIGIE E ORE para que não caia nas tentações do inimigo. E quando tudo parecer desmoronar, quando os problemas lhe atormentarem e as lágrimas insistirem em rolar, lembre-se de que estou do seu lado. Segure minha mão. Aconchegue-se em meus braços de amor, pois ao meu lado será mais fácil lutar contra as trevas ao seu redor. A escuridão não se atreve a chegar onde está a Minha luz. Eu a ofereço a você, para que você brilhe em meio às trevas com a Minha Luz, e não somente se mantenha protegido, mas proteja outros também.
E nunca se esqueça: você foi minha maior obra-prima, pela qual derramei o meu sangue. Não duvide nunca do meu amor, da minha companhia e de minha promessa: “Vou preparar-lhe um lugar. E quando eu for e lhe preparar um lugar, voltarei e lhe receberei para Mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vós também”.
Até breve!
Com amor,
Jesus.

Nenhum comentário: